sexta-feira, 3 de abril de 2015

E AGORA VITOR RODRIGUES?!

Olha só como a vida ensina certas coisas nas entrelinhas.
Após as saídas de Broderick e Shawn Drover - guitarra e bateria - do Megadeth, muitas especulações sobre quem seriam os substitutos explodiram nas redes sociais do mundo do metal.
Até eu, contaminado pelos fatos, resolvi externar minha opinião e escrevi um post aqui no meu blog (quem quiser ler é só acessar esse link), e apostei todas as minhas fichas na volta de Marty Friedman e do Nick Menza à banda. Senti que eles deveriam voltar e fazer um novo Rust In Peace - aliás, estou escutando ele agora - e trazer mais uma vez aos palcos essa formação que fez  - e ainda faz - muitos afirmarem que esse é a obra-prima da banda, etc e tal.
              
Kiko Loureiro, Dave Mustaine e Chris Adler
Mas, depois do anúncio de Chris Adler (Lamb of God) na bateria, vi que a esperança em trazer a formação original tinham se esgotado, e após a notícia de que o guitarrista da banda seria o Kiko Loureiro, fiquei por alguns segundos em choque. Mas foram por alguns segundos, e na boa... fiquei extremamente feliz com essa notícia. Não é só o Kiko que está se dando bem, tocando em uma das bandas seminais do metal mundial, e que faz parte da minha vida. Mas é um músico brasileiro! É do Brasil! Lugar onde esse estilo que gostamos tanto, ao ponto de dizer categoricamente que é a nossa religião, mais uma vez se torna destaque. É um momento muito importante para a nossa cena, para o nosso país. Precisávamos disso, pois a última vez que isso ocorreu foi com o Sepultura que abriu as portas do metal brasileiro para o mundo, e se firmou como nosso maior artista ao redor do planeta. Desculpe Caetano Veloso, João Gilberto e outros, mas o maior artista brasileiro no mundo todo se chama... Sepultura.

Com isso, comecei a filosofar uma coisa. A gente fica tão preso ao passado, dando mais importância a ele, que esquecemos de olhar para o agora. Ou seja, ao desejar ardentemente que Marty Friedman e Nick Menza voltassem à banda, de certa forma, estou querendo voltar para aquele passado, e ficar mais um pouco nele esquecendo que o futuro reserva muitas coisas novas. Claro que a história poderia ser outra, mas a verdade é que a vida é feita de desafios e escolhas, e o mais importante é viver isso. É vivenciar essa maravilhosa experiência. 
Vai ser muito legal ver o Kiko tocando e detonando nesse baluarte do thrash metal chamado Megadeth.
E parece que o Dave está aqui do meu lado me perguntando: "...e agora Vitor Rodrigues?"
Kkkkkkkk