terça-feira, 25 de novembro de 2014

CONEXÃO BRASIL METAL: Salvador, BAHIA - Parte 4

Não é só de bandas que vive o underground baiano do metal. Muitos músicos excepcionais fazem carreira solo com seu talento em seus respectivos instrumentos, tocando os mais variados estilos. Porém, esses grandes artistas têm uma coisa em comum, não esquecem suas raízes metálicas. Entre esses inúmeros músicos baianos, destaco o baixista Joel Moncorvo, o guitarrista Ricardo Primata e o baterista Thiago Nogueira.

JOEL MONCORVO
Nascido em 1971, na cidade de Salvador, Bahia, o contrabaixista, arranjador e compositor, Joel Moncorvo, iniciou suas aulas com apenas sete anos, estudando com a sua mãe. Em 1985, gravou o seu primeiro disco de vinil, Apelo à Igualdade, com a banda Turmalina, pela gravadora Continental Chanceller. Em 1992, fundou a SLOW, sua banda de Rock Heavy Fusion, com a qual lançou o seu Álbum – Killer Mermaid.
Já em 2005, passou a integrar o line-up do Ungodly, gravando o debut álbum auto intitulado e se apresentando ao lado de grandes expoentes do metal mundial: Slayer, Arch Enemy, Candlemass, entre outras.
Lançou em 2007 o seu primeiro CD solo instrumental – Muito Além do Som - pela Dynamo Brazilie Records. Em 2012, lançou o seu segundo disco solo – Revoluções - pela gravadora Alternative Music. Em 2011 participou dos DVDs promocionais das empresas Tagima, Sparflex e Solez. Ainda em 2011 fundou o Centro Musical Joel Moncorvo, em Salvador – BA, uma das principais referências no ensino especializado do contrabaixo.
Joel Moncorvo participa ativamente do principal movimento de contrabaixo brasileiro, que são festivais promovidos pelo Baixista Celso Pixinga por todo o Brasil.  já foi destaque nas principais revistas brasileiras, como Cover Baixo, Rock Brigade, Roadie Crew, Comando Rock, Rock Hard, Valhalla, Músicos (Argentina), Guitar Player, Bass Player, e foi capa da Revista IBT Bass Festival




RICARDO PRIMATA
Considerado um dos grandes guitarristas desta geração, Ricardo Primata começou sua história aos sete anos, quando pegava escondido a guitarra de seu tio para arriscar seus primeiros acordes. Na pré-adolescência, já fazia apresentações em público, tocando violão erudito em aberturas de feiras escolares e guitarra em algumas bandas, até que formou a Angkor, de estilo peculiar e composições próprias, que mesclavam o rock às músicas erudita, flamenca e brasileira.
A Revista Rolling Stone Brasil elencou Primata, em fevereiro de 2012, entre os 70 mestres da guitarra e do violão brasileiro. Sua mais recente produção foi o CD Espelho da Alma, lançado com apresentações no Brasil e nos EUA e reeditado em versão multimídia, contendo o videoclipe da faixa Repentes. Rock progressivo, com elementos da música brasileira e bastante tempero do Nordeste. O disco e o videoclipe têm participações especialíssimas, como do repentista Bule-Bule e do mestre da guitarra baiana, Armandinho Macedo.
Sempre lembrado positivamente pela crítica especializada, em 2009, foi também considerado um dos 30 melhores guitarristas pelo site Heavy Metal Brasil.
Em 2004, lançou seu 1º CD, o projeto Ritmia, que lhe rendeu destaque. Um exemplo veio da Revista Guitar Player brasileira, em dezembro do mesmo ano: "Riffs poderosos, solos bem construídos e boas composições são qualidade do guitarrista baiano Ricardo Primata". Em 2005, lançou seu trabalho instrumental intitulado Visões, deflagrando temas agradáveis e envolventes, com grande valorização da melodia e certeiros momentos virtuosos. Em 2006, o músico volta aos lançamentos, com o primeiro registro da banda Slow, pelo selo Maniac Records, o que gerou apresentações memoráveis ao lado de bandas como o Angra e Jeff Scott Soto.
Atualmente, ministra workshops e workshows de guitarra, já tendo participado, como convidado, de workshows de grandes músicos, como o guitarrista Kiko Loureiro (Angra).




THIAGO NOGUEIRA
Desde muito cedo, o baterista Thiago Nogueira já se dedicava aos estudos. Com 8 anos de idade o músico teve seu primeiro contato o instrumento musical. Aos 15, já tocava profissionalmente e foi com essa idade que Thiago Nogueira participou da sua primeira banda de Heavy Metal, a então Scrupulous. Foi com ela que o músico fez o seu primeiro trabalho em estúdio, um split-CD chamado Death of Glory, o qual foi lançado pela Heavy Metal Rock Records, da Sony Music.
Ao completar os 18 anos, o músico começou a fazer diversos trabalhos como free lancer inclusive, foi nesta época em que Thiago tocou no conjunto Farol Blues Band e que mais tarde viria a fazer uma turnê pela Europa, no ano de 1996.
Ao regressar para sua terra, o músico resolveu morar em Salvador - BA, onde começou um intenso trabalho paralelo com diversas bandas. E, até hoje, continua a produzir e gravar álbuns das mais variadas bandas do cenário Heavy Metal na Bahia.
Entre os trabalhos de produção e participação, estão as bandas: Headhunter D.C, Mystifier, Tharsis, Ungodly, Mystics, Slow, Ritmia, Insaintfication, Veuliah, Behavior. Uma das últimas bandas de metal em que efetivamente, o músico fez parte, foi a Ungodly (Salvador-BA). Foi com essa banda, que Thiago Nogueira participou de grandes festivais e tocou ao lado de ícones do cenário mundial de Metal, entre elas: Angra, Arch Enemy, Candlemass, e até o imponente Slayer.
Entre os anos de 2000 e 2007, Thiago Nogueira tocou e fez a direção musical da artista dance Simone Sampaio. Em 2003, produziu o primeiro CD da cantora e em setembro de 2009 dirigiu a gravação do DVD autoral.
Nos anos de 2008 e 2009, Thiago se envolveu com um projeto pop/axé chamado Via Circular, onde fez vários show pelo Brasil que culminou num DVD gravado ao vivo em Belo Horizonte/MG.
Thiago Nogueira acompanha a cantora internacional Margareth Menezes, com quem fez uma série de shows pela Africa do Sul durante a copa do mundo, participou do festival mundial da cultura negra em Senegal no final de 2010 e esta fazendo um tour por todo o Brasil, divulgando o novo DVD Naturalmente.
Recentemente, gravou o novo DVD da artista. O trabalho será chamado de Voz Talismã e será lançado em meados de 2013.
Além disso, Thiago faz parte do AFRO POP, um projeto instrumental que está prestes a gravar seu primeiro CD.