quinta-feira, 25 de setembro de 2014

O QUE FALTA PARA O METAL NACIONAL DESLANCHAR DE VEZ?

O que falta pro metal nacional deslanchar de vez?
Fiz essa pergunta na minha página no Facebook: https://www.facebook.com/vitorrodriguesofficial?ref=hl e no meu Twitter: https://twitter.com/__vitorodrigues e estou obtendo várias respostas interessantes que no fundo são mais anseios do que propriamente soluções.
Na verdade, o que falta na minha opinião é investimento. É dinheiro mesmo! E como não tem, tudo que é angariado retorna aos bolsos dos promotores, e no fim da fila... as bandas. A cena não cresce. Fica encruada. E se resolve mover, é a passos mínimos, quase parando.
Por anos imaginei que o Metal não dava dinheiro. Sim, se você disser tendo como base o Brasil. Na Alemanha, é realizado mais de 1000 eventos de metal só no verão, agora imaginem na Europa inteira. Festivais como o Wacken na Alemanha, o Hellfest na França, o Sweden Rock Fest na Suécia e tantos outros, movimentam milhões de euros e fazem a alegria do público aumentando sempre a procura a cada ano.
Mas voltando à cena brasileira, por que não há público para assistir aos shows das bandas nacionais, tirando as consagradas? Falta de dinheiro? Falta de interesse? As bandas são ruins? Os promotores são inciantes ou anti-profissionais?

A economia do nosso país não é das melhores como todos sabem, e pra piorar o investimento "misteriosamente" é desviado para objetivos obscuros. Além disso, há o preconceito sim de que a música pesada do Metal ainda incita a violência, sendo que nós somos o público mais educado nos shows. Então, pra começar, acho necessário um programa de TV voltado ao Metal. Muito do que aprendi foi vendo esses programas, por exemplo, a estreia do Iron Maiden no programa Realce Baby da Tv Gazeta, e que mais tarde virou Clip Trip. Tinha o Super Special, Sábado Som, Som Pop, e outros em que só rolavam videos de hard rock e metal. Lembro do Perdidos na Noite na Bandeirantes cujo apresentador Fausto Silva foi responsável por picos de audiência devido ao jeito dele de apresentar, e ao programa totalmente non sense, e mais pra frente o grande Musikaos capitaneado pelo meu amigo Gastão Moreira, onde bandas tocavam ao vivo, e o pessoal comparecia em peso para vê-las. E ainda o programa Stay Heavy do Vinicius Neves e Cintia Diniz que, mesmo não sendo transmitido em TV aberta, ainda mantinha a chama headbanger acesa. Vejo que a cena nacional precisa apenas se organizar. Mas num mundo capitalista, precisamos pensar em termos financeiros. Sim... FINANCEIROS! Vamos analisar friamente, a música é um produto a ser comercializado. É matéria-prima de rádios, TVs, festivais e um monte de coisas. O promotor ganha pelo evento, as bandas ganham pelo material apresentado, o público ganha por assistir um show numa boa infraestrutura. Mas tudo isso tem despesa, custos, requer investimentos, em suma... dinheiro. Ainda me agarro nessa minha crença de que tudo gira em torno da música, mas o Metal é uma cultura e deve ser respeitada e organizada. Estou sonhando?