quinta-feira, 7 de agosto de 2014

VOCAIS INFLUENTES: MAX CAVALERA (SOULFLY, CAVALERA CONSPIRACY)

Se tem uma pessoa responsável por eu ter escolhido ser vocalista de banda de metal, essa pessoa foi Max Cavalera. Lembro-me de ler de cabo a rabo na extinta revista Bizz e na Rock Brigade matérias sobre a então emergente banda Sepultura. E quando passou o vídeo clipe deles da música Inner Self, juntei um pouco de grana que tinha e pedi o restante pro meu pai, e fui comprar o que seria meu primeiro disco de vinil, Beneath The Remains. Tenho essa maravilha até hoje, e ainda continua sendo uma fonte inesgotável de inspiração. Minhas primeiras tentativas de cantar gutural foram inspiradas pelo Max, e eu tentava reproduzir o timbre da voz dele nos ensaios com a minha primeira banda RTH. O grande ensinamento que podemos tirar é que Max aliava muito o feeling com a capacidade de compor riffs e bases fenomenais e que juntamente com o grande Andreas Kisser formavam uma das maiores duplas de guitarristas da galáxia. Percebemos que tudo é feito numa raça incomum, numa gana fora de série, numa simplicidade assustadora pela sua grandiosidade.
Certa vez, alguém disse que a forma como Max vociferava as letras lembrava muito um general comandando no meio do caos de uma guerra, e ouvindo as faixas do Beneath The Remains temos essa ideia nitidamente. O que fascina em grande parte seja o groove empreendido e a maneira como ele coloca os vocais em bases simples, porém brilhantes. É difícil destacar alguma música desse disco. Cada uma tem uma história, tem um universo inteiro girando quando as faixas são tocadas, mas por incrível que possa parecer isso era apenas uma demonstração do que viria a seguir. Com uma turnê bem sucedida, eis que o grande Sepultura volta ao estúdio e a banda grava o clássico Arise. Aqui ouvimos Max cantar com mais segurança e indo direto ao ponto sem deixar o groove e seu timbre característico de lado. Ele também não é dado a soltar berros ao longo da música como Brett Hoffmann do Malevolent Creation porque o que mais chama a atenção no estilo dele é ser simples, ou seja, menos é mais. Arise é um casamento perfeito entre a parte instrumental aliada ao talento do vocalista, e que juntos deram vida a um dos maiores discos de thrash metal mundial. O general continua lá ditando suas palavras diretamente no ouvido das massas, uma voz no meio da tempestade sonora. Mas, a verdade é que não há o que dizer sobre Max Cavalera. Creio que tudo já foi dito, e o que mais me orgulha é que carrego dentro de mim a emoção de ter cantado junto com ele em um show. Roots, bloody roots!!